METODOLOGIA DE TRABALHO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO ESTUDANTE

 

Com objetivo de garantir a articulação entre ensino, pesquisa e extensão será estimulado nos estudantes o desenvolvimento de atitudes e ações empreendedoras e inovadoras, com foco nas vivências da aprendizagem para a capacitação e para formação docente.

Desta forma, serão empregadas estratégias presentes na Portaria IFPR nº 120 de 06 de agosto de 2009:

  • Atividades supervisionadas trabalhos/projetos interdisciplinares na modalidade presencial capazes de integrar áreas de conhecimento, apresentar resultados práticos e objetivos e que tenham sido propostos pelo coletivo envolvido na atividade supervisionada/trabalho/projeto;
  • Implementação sistemática, permanente e/ou eventual de seminários, fóruns, palestras e outros que articulem os currículos a temas de relevância social, local e/ou regional e que potencializem recursos materiais, físicos e humanos disponíveis;
  • Flexibilização de conteúdos por meio da criação de componentes curriculares e de outros mecanismos de organização de estudos que contemplem conhecimentos relevantes, capazes de responder a demandas pontuais e de grande valor para a comunidade interna e externa;
  • Previsão de espaços para reflexão e construção de ações coletivas, que atendam a demandas específicas das diferentes áreas do conhecimento, tais como fóruns, debates, grupos de estudo e similares.

Além disso, são requisitos básicos considerados na estrutura curricular deste curso:

  1. Propiciar condições para a conclusão do curso de Especialização em Ensino de Ciência e Tecnologia no período máximo 30 (trinta) meses;
  2. Apresentar uma perspectiva pedagógica ajustada aos objetivos específicos do curso;
  • Formar o profissional que tenha condições de inovar sua prática docente em termos da compreensão e aplicação da ciência e da tecnologia, no que tange os conteúdos das disciplinas em seus aspectos teóricos, metodológicos e epistemológicos, tendo em vista o uso das novas tecnologias e materiais didáticos que venham aprimorar a prática docente.
  1. A estrutura curricular prevê a exigência de trabalho final do estudante que demonstre domínio do objeto de estudo e capacidade de expressão estruturada adequadamente sobre tal objeto – a ser avaliado por uma banca de acadêmicos qualificados.

Com relação as estratégias pedagógicas que serão utilizadas para atingir o perfil do egresso, estas devem levar em conta o perfil dos estudantes.

Serão utilizadas aulas expositivas e dialogadas, além de atividades complementares como seminários, debates, palestra entre outros.

A avaliação deverá ser contínua, diagnóstica e processual. Deverá acontecer em diversos momentos e formatos para valorizar as múltiplas inteligências.

Caso o estudante não seja aprovado na disciplina, conforme os critérios de avaliação previstos no PPC, poderá ainda realizar a recuperação paralela de seus estudos. Portanto, caberá ao professor o papel de mediador do conhecimento e como tal promoverá aulas dialogadas para favorecer a participação dos estudantes.

A avaliação buscará privilegiar a predominância de aspectos qualitativos sobre os quantitativos. A avaliação será processual e contínua, prevalecendo o desempenho do estudante ao longo do curso. Nesta situação, a avaliação tem como características as funções diagnóstica, formativa e somativa.

Portanto, as avaliações poderão ocorrer por meios de: seminários, trabalhos individuais ou em grupos, testes escritos e orais, dramatizações, demonstrações de técnicas em laboratórios, apresentação de trabalhos finais de iniciação científica; artigos científicos, trabalho final de curso, portfólios, resenhas, auto avaliação, entre outros.

Cada componente curricular deverá propor suas avaliações e recomenda-se que nos momentos em que elas ocorram, o(a) professor(a) faça uso de formas e meios diferenciados para contemplar as múltiplas inteligências e as habilidades dos estudantes.

Recomenda-se também que o professor não submeta o estudante a uma única oportunidade e a um único instrumento de avaliação.

Os resultados das avaliações serão expressos em conceitos A, B, C ou D. Será considerado aprovado o estudante que obtiver os conceitos A, B ou C e frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) no componente curricular.

Para obtenção do obtenção do título de Especialista em Ensino de Ciência e Tecnologia, o estudante deverá cursar um total de 360 horas, em componentes curriculares obrigatórios e optativos, distribuídos da seguinte maneira:

  • 200 horas de componentes curriculares obrigatórios:
  • 160 horas de componentes curriculares optativos;

Além desta carga horária distribuída em componentes curriculares obrigatórios e optativos, o estudante deverá desenvolver as seguintes atividades:

  • 15 (quinze) horas de atividades de estágio supervisionado;
  • 15 (quinze) horas de atividades complementares;
  • Trabalho de Conclusão de Curso – TCC na forma de Artigo.

A seguir é apresentado detalhadamente cada um dos itens acima relacionados:

  • 200 horas de componentes curriculares obrigatórios:

Os componentes curriculares obrigatórios são comuns a todos os estudantes. Estes componentes deverão ser ofertados mediante a disponibilidade dos professores e demanda dos estudantes.

Entretanto, deve ser assegurado ao estudante a possibilidade de cursar até 2 (dois) componentes curriculares obrigatórios por semestre.

Segue o Quadro 3 com os componentes curriculares obrigatórios e suas respectivas carga horaria.

Quadro 3: Componentes curriculares obrigatórios

Componente curricular Carga horária total
Ciência, Tecnologia e Sociedade – Obrigatório 60h
Teorias de Ensino/aprendizagem – Obrigatório 60h
Tópicos em Metodologia da Pesquisa – Obrigatório 60h
Trabalho de Conclusão de Curso – TCC – Obrigatório 20h

 

  • 160 horas de componentes curriculares optativos;

Os componentes curriculares optativos visam privilegiar os conhecimentos referentes a área de atuação e/ou interesse dos estudantes. Estes deverão ser ofertados mediante a disponibilidade dos professores e demanda dos estudantes uma vez que este curso contempla mais de uma linha de pesquisa.

A oferta destes componentes curriculares fica condicionada ao número mínimo de 5 (cinco) estudantes.

Entretanto, deve ser assegurado ao estudante a possibilidade de cursar até 2 (dois) componentes curriculares optativos por semestre.

Segue o Quadro 4 com os componentes curriculares obrigatórios e suas respectivas carga horaria.

Quadro 4: Componentes curriculares optativos

Componente curricular Carga horária total
Ambientes informatizados de Ensino/aprendizagem – Optativo 40h
Docência e empreendedorismo – Optativo 40h
Fundamentos para o ensino de Biologia – Optativo 40h
Fundamentos para o ensino de Física – Optativo 40h
Fundamentos para o ensino de Matemática – Optativo 40h
Fundamentos para o ensino de Química – Optativo 40h
Tópicos de Estatística – Optativo 40h
Tópicos de Física – Optativo 40h
Tópicos de Tecnologia – Optativo 40h
Tópicos em Educação Profissional – Optativo 40h
Tópicos em Ensino de Ciências nas Séries Inicias – Optativo 40h
Tópicos em Linguagem Acadêmica – Optativo 40h
Tópicos Especiais em Educação e Tecnologia – Optativo 20h

 

  • 15 (quinze) horas de atividades de estágio supervisionado;

O estágio supervisionado consiste no acompanhamento sistemático da ação docente do estudante, diretamente em sala de aula, com um mínimo de 8 (oito) horas aula, ao longo de, no máximo um ano. Esta atividade tem como objetivo propiciar aos estudantes um ambiente real de sala de aula para aplicação de seus estudos e/ou propostas de intervenções, assim como ambiente adequado de coleta de dados, que possa subsidiar suas pesquisas e o desenvolvimento do trabalho de conclusão de curso.

Esta atividade deverá ser formalizada por meio da apresentação do planejamento das atividades a serem desenvolvidas e do relatórios das atividades desenvolvidas.

 

  • 15 (quinze) horas de atividades complementares;

A carga horária de atividades complementares pode ser integralizada por meio de pesquisas que incluem a participação em seminários, palestras, workshops, congressos, disciplinas específicas e outras atividades autorizadas pelo colegiado em consonância com o regulamento de atividades complementares.

 

  • Trabalho de Conclusão de Curso – TCC na forma de Artigo.

Para cumprir com a atividade do Trabalho de Conclusão de Curso – TCC, o estudante deverá desenvolver um estudo relacionado ao objetivo desta especialização em forma de artigo, esta atividade tem como objetivo demonstrar domínio do objeto de estudo e capacidade do estudante de expressar-se sobre ele.

 

Ainda com relação à carga horária do curso, e devido à especificidade do público alvo desta especialização, ou seja, docentes que já estejam atuando ou pretendam atuar, o curso terá duração mínima de 12 (doze) meses, e duração máxima de 30 (trinta) meses.

A matriz curricular e a metodologia de trabalho do curso, visa a corroborar com a permanência dos estudantes, mediante flexibilização de oferta dos componentes curriculares, uma vez que o estudante poderá concluir o curso em 12 (doze), 18 (dezoito) 24 (vinte e quatro) ou em até 30 (trinta) meses, dependendo de seu de interesse e disponibilidade.

Em média os estudantes deverão concluir o curso em 18 (dezoito) meses, sendo 12 meses para cursar os componentes curriculares obrigatórios e optativos e mais 6 (seis) meses para desenvolver as demais atividades incluindo o TCC.

Deste modo, dependendo do interesse e disponibilidade do estudante, este poderá cursar até 4 (quatro) componentes curriculares (2 obrigatórios e 2 optativos) por semestre e desenvolver as demais obrigações descritas anteriormente e concluir no período mínimo de 12 (doze) meses, ou concluir em até 30 (trinta) meses cursando 2 (dois) componentes curriculares por semestre, ou variações deste modelo conforme a disponibilidade de oferta, interesse e tempo do estudante.

Dessa forma, a cada semestre o colegiado do curso por meio do coordenador, deve elaborar um edital com os componentes curriculares a serem ofertados naquele semestre com os respectivos dias e horários. Com base neste edital e seguindo as instruções dos orientadores os estudantes deverão se matricular e cursar os componentes curriculares.